sexta-feira, agosto 04, 2017

Akombe weia!

Regressaram ontem a Portugal a nossa missionária Susana Querido, que esteve em missão 6 meses, a nossa missionária Inês Pereira, que esteve em missão 1 mês, e as voluntárias Sofia e Graça. Akombe weia! Bem-vindas, manas!

Na chegada da Susana, testemunhada por um comitiva Ondjoyetu que se deslocou ao aeroporto, os momentos vividos foram de grande emoção, com muitos sorrisos e lágrimas à mistura, pelo reencontro com aqueles que se ama. No rosto e palavras desta nossa missionária transparece a Alegria da Missão, a gratidão de ter sido chamada a ser instrumento do Amor de Deus ao serviço de um povo que tem muito pouco ou quase nada. Twapandula, Susana, por deixares no Gungo (e sempre por onde passas) um rasto de Deus. Twapandula, Inês, por teres dedicado mais uma vez as tuas férias ao serviço de Cristo. E twapandula a todos os voluntários que, de um modo particular este ano, têm colaborado na Missão do Gungo, entre os quais a Mafalda Vasconcelos, estudante de Medicina que se encontra neste momento na Linha da Frente. E precisamente à equipa da Linha da Frente enviamos um grande abraço, desejando-lhe toda a coragem para continuar a tocar e transformar vidas.

Estamos juntos.

Graça, Inês e Sofia na viagem de regresso a Portugal

Susana, acompanhada de famíliares e amigos,
na chegada ao aeroporto de Lisboa













Testemunho da Susana Querido no final da sua missão de 6 meses em Angola:"Vai bem ya, mana Susana ...vai com Deus, rezamos por ti e por toda a tua família." Foi assim a despedida do povo e da família de cá. É assim de coração apertado que me encontro e com uma cara inchada de chorar de alegria e tristeza. Estou de regresso a Portugal depois de ter vivido quase 6 meses com o povo do Gungo em Angola, uma realidade bem diferente daquela que se vive em Portugal. O que lhes falta em materiais e bens de primeira necessidade tem a dobrar na sua forma pura de ser e de nos ensinarem a aprender o que é a família e o respeito por todos. Estes meses foram muito intensos cheios de aprendizagem, de episódios e emoções. De muita alegria mas também de algumas tristezas, principalmente quando nem sempre conseguíamos ajudar o povo e este só nos tinha a nós como solução dos seus problemas. Aí percebemos as limitações... que não somos assim tão heróis. Heróis são aquelas pessoas que conseguem sobreviver com tão pouco.
Durante este tempo ensinei muito mas aprendi ainda muito mais. No inicio cheguei a fazer uma lista de coisas que estava a fazer pela primeira vez na minha vida, mas perdi a conta... aqui em missão tudo se faz. E estar em missão é estar disponível para se fazer tudo aquilo que dentro das nossas capacidades nos dispomos a fazer, e foi isso que aconteceu. Estes 6 meses fiz tudo, menos aquilo que estava "habilitada", e olho para trás e sinto-me imensamente feliz, pois sinto que fiz aquilo que Deus queria que fizesse com o povo. Tenho a certeza de que Ele esteve sempre ao meu lado, senti-me como seu instrumento. Estive onde era preciso, a fazer o que era preciso, com as pessoas que precisavam.
Vou de coração cheio por ver o quanto cada missionário marcou aquele povo e contribuiu para o seu desenvolvimento. É de arrepiar ver a mudança e ver que com o pedacinho que cada um dedicou e dedica àquele povo os está a ajudar tanto. Um especial agradecimento ao padre Vítor Mira e ao padre David Ferreira pelo seu amor e dedicação. Que Deus vos acompanhe e que sejam fermento para mais padres abraçarem o projeto com o mesmo carinho. Obrigada, família e amigos, por me apoiarem. Também estiveram em missão.
Obrigada a todos os voluntários e missionários com que me cruzei. Também me ajudaram muito.
Estamos todos de parabéns pois juntos conseguimos fazer a diferença no mundo daquele povo ;) Susana Querido

quarta-feira, agosto 02, 2017

Ondjila e Cambinda foram visitadas!

Os últimos dias de Julho foram passados entre os bairros de Ondjila e de Cambinda. No dia 21 subimos e após 10h de viagem chegamos à Ondjila, mesmo chegando as 22h30, os cântico de boas vindas ressoaram pelas montanhas. Neste centro  foi possível acompanhar os trabalhos dos líderes da Pastoral da Criança, actividades com crianças, consultas e encontros de vários grupos na área da pastoral. Na quinta feira deslocamos até ao Centro de Cambinda e continuamos com estes encontros e visitas. Os dias foram passando a correr, as novas voluntárias aos poucos já se foram integrando nas dinâmicas da missão e eis que chega o Domingo, dia do Senhor mas também o dia de despedida. Para a mana Susana foi a despedida após 6 meses de Missão, para a mana Inês e mana Sofia despedida de 1 mês e para a mana Graça, de duas semanas. Em todas fica a gratidão pela forma como fomos acolhidas, pela oportunidade de trabalhar com este povo e de crescer junto. Para celebrar, ainda tivemos a oportunidade de dançar na acção de graças como verdadeiras camungungas trajadas a rigor.
Descemos no dia 31 para o Sumbe e amanhã já vamos para a Luanda.

A Missão também é isto!
Estamos juntos*

sexta-feira, julho 28, 2017

Curso de Missiologia 2017

O Curso de Missiologia é uma iniciativa dos Institutos Ad Gentes com o apoio das Obras Missionárias Pontifícias. Esta formação visa a qualificação do missionário e, consequentemente, da Missão.

O curso é bienal. O ano de 2017 corresponde ao 2.º ano do ciclo e a inscrição é arbitrária quanto à ordem, 1.º ou 2.º ano. O diploma obtém-se após a frequência dos 2 anos.


Objetivos
Apresentar as bases bíblico teológicas da missão ad gentes.
Repensar a missão à luz do Vaticano II e dos documentos recentes do Magistério.
Percorrer as etapas mais importantes da história da evangelização e da reflexão missiológica.
Apresentar exemplos concretos da práxis missionária actual e preparar para os desafios da inculturação e do diálogo do Cristianismo com outras religiões.

Temas & Docentes
- A Missão no Evangelho de Mateus (D. António da Rocha Couto)
- Cristianismo e globalização. Estado, Igreja e Missionação na Época Moderna e Contemporânea (Doutor José Eduardo Franco)
- Espiritualidade Missionária (Doutora Teresa Messias)
- Literatura e Teologia. A Ficção de Shūsaku Endō (Pe. Adelino Ascenso)
- Diálogo Inter-religioso (Pe. José Nunes)

Data
21 a 26 de agosto de 2017

Local
Seminário dos Missionários da Consolata, em Fátima

Inscrições & Informações
Online: clique aqui
Telefone: 249 539 430
E-Mail: cursomissiologia@gmail.com

Valor da inscrição
20€

Data limite de inscrições
10 de agosto de 2017


O número de vagas é limitado. Não se atrasem! ;)

sexta-feira, julho 21, 2017

Com a equipa actualizada :)

Walale amigos missionários,
A nossa equipa está renovada para as próximas duas semanas. Ontem chegamos de Luanda e já nos pudemos juntar à mana Susana e às meninas que tinham ficado no Sumbe a preparar as coisas. À noite fomos jantar com as nossas amigas irmãs Guadalupanas e assim celebrar a amizade de tantos anos de caminhada juntos.

Agora estamos a carregar o cavalinho branco e em breve subiremos para o Gungo, as aldeias de Ondjila e Cambinda esperam por nós.

Estamos Juntos*

quarta-feira, julho 19, 2017

Trocas na missão =)

O dia 18 de Julho foi dia de grandes mudanças para a equipa: chegada e partida de voluntários. Começou bem cedinho com a chegada da Mafalda, que veio pela associação Move-te Mais, e que ficará connosco nos próximos dois meses. Pela tarde foi hora de receber a Graça, que veio para ficar connosco nas próximas duas semanas. E o fim do dia foi de despedida do mano Gonçalo e da mana Catarina, que de coração pendurado lá disseram um até já à missão. O dia também foi repleto de parabéns à mana Sofia, que passou o seu aniversário pelas ruas de Luanda. E aqui fica a foto, dos 10 minutos em que toda a equipa esteve ao mesmo tempo em solo angolano. Só faltou a mana Susana que está no sumbe a preparar a nossa subida para o Gungo.
Estamos Juntos

Mais uma semana de trabalhos na Donga.

Entre os dias 8 e 16 de Julho a equipa missionário esteve na Donga para mais uma semana de trabalhos com a comunidade nas mais variadas áreas. Iniciámos com os líderes da pastoral da criança onde foram reforçados os cuidados com a amamentação e esclarecimento de dúvidas no terreno. A meio da semana tivemos dois grupos de formação: as parteiras tradicionais e os promotores de saúde. Foram momentos de partilha em que tivemos a oportunidade de perceber as tradições e poder ajudar com o que sabemos e com os poucos meios que temos. A semana também foi repleta de trabalhos na lavra, a apanhar ginguba, finalização da cobertura do estaleiro para o btc e com a ajuda do Gonçalo na iluminação de vários pontos da sede da Missão. Com tanta gente da área da saúde o consultório foi muito requisitado e juntos tentamos ajudar o povo nas suas preocupações.
Terminamos a nossa semana com um almoço em casa do Tio Calei com a sua familia e assim celebrar tudos os trabalhos que foram realizados
E se vai caminhando na Missão =)

quinta-feira, julho 13, 2017

Envio Missionário - Missão do Alentejo 2017

Decorreu no passado sábado dia 8 de julho a missa de envio da equipa missionária que irá participar este ano na missão do Alentejo. Após vários meses de preparação, a missão decorrerá entre os dias 21 e 30 de julho e terá lugar na região de Nisa, percorrendo as aldeias de Tolosa, Arez e Amieira.

Durante o dia de sábado a nossa equipa aproveitou para realizar um retiro espiritual com o objectivo de reforçar a mensagem que será levada aos nossos irmãos do Alentejo. O retiro teve lugar na casa das Irmãs Religiosas da Instrução Cristã, que muito amavelmente nos acolheram, sendo presidido pelo padre Joaquim Domingos Luís.



O dia foi de partilha, oração, reflexão e convívio, tendo sido dedicado ao estudo aprofundado de alguns excertos da Bíblia e também à análise do capítulo V da exortação apostólica “A alegria do Evangelho”, do nosso querido Papa Francisco, que adverte para a necessidade de sermos evangelizadores sem medo, alegres, com total espírito de entrega e ousadia. Observámos de perto o melhor exemplo desta forma tão sublime de evangelização, Maria, que o fez de forma tão admirável, através da fé, da ternura e do afecto. Levamos também aos nossos irmãos Alentejanos a mensagem de paz trazida por Nossa Senhora de Fátima aos pastorinhos, no âmbito da comemoração do Centenário das Aparições.


O nosso dia terminou com a realização da missa de envio na Comunidade Pastoral de São Romão, Leiria, presidida pelo entusiasta padre Joaquim Domingos Luís. Seguiu-se depois um jantar convívio na casa das irmãs, juntamente com os restantes membros do nosso grupo.

A equipa sente-se agora desafiada a levar toda esta Alegria da grandeza do Amor de Deus aos nossos irmãos Alentejanos!

quinta-feira, julho 06, 2017

Chegámos!

Wapitila, mais uma vez disse esta palavra…. Chegámos!
E mais uma vez chegámos a esta que também é a nossa casa, Ondjoyetu.
Para mim é rever caras conhecidas, rever família. Para a Catarina e para a Sofia é a curiosidade de quem pisa esta terra pela primeira vez, os olhares atentos sobre as pessoas, as cores, a terra, o mundo que é completamente diferente daquele a que fomos habituados.
Já estamos no Sumbe e encontramos o resto da equipa com quem vamos trabalhar nos próximos dias. No sábado vamos subir até à Donga e pôr mãos à obra, porque vontade de trabalhar e de estar com o povo do Gungo não nos falta.
Ate já,
Estamos Juntos

Mana Inegi*


Visita aos Centros do Longundo e Caponte

Após a estadia na Donga os voluntários Diana Teixeira e Carlos Baptista decidiram regressar a Portugal. O Povo do Gungo e o grupo missionário agradecem a forma como estes jovens dedicaram o seu tempo de vida em prol da melhoria da saúde do Povo. O jovem Gonçalo Dias continua com o grupo na árdua tarefa na educação para a saúde.

A estadia no Sumbe foram 3 dias de correria. Depois da ida a Luanda para deixar os jovens voluntários, da ida à Conda para abastecimento da água potável, da manutenção de algumas peças do cavalinho, da preparação e organização da viagem, de carregar o cavalinho até não haver mais espaço, partimos em direção ao centro do Longundo. A equipa estava muito animada por ir para os centros do Longundo e Caponte, pois já não rodávamos por estes há um ano, devido às condições climatéricas e geográficas. São dois centros que estão no lado Oeste do Gungo, só é possível visitar no tempo seco devido ao estado das picadas e à falta de pontes.
Partimos para o Longundo no dia 23 de junho e, à nossa chegada, tínhamos a aldeia toda à espera com cânticos de alegria pela visita. A comunidade juntou-se e construiu uma casa de adobes para receber a equipa, ainda cheirava a terra fresca aquando da nossa chegada. Estivemos neste centro 5 dias, fomos visitar e passar o dia em dois bairros Candjila e Chimjamba.
No dia 28 de junho deslocamo-nos para o centro do Caponte. Como é habitual do bom acolhimento do povo do Gungo, ao longo do caminho pelos bairros que íamos passando, fomos ouvindo as músicas de alegria pela presença do grupo e pelo povo não se sentir esquecido. Ficámos 5 dias no centro do Caponte, durante este tempo fomos visitar os bairros Hiquila e Etama.
Durante a nossa passagem pelos centros e pelos bairros desenvolvemos diversos trabalhos. O Pe David realizou encontros com os membros dos Ondjangos (os vários conselhos dos bairros e centros), preparações para a 1ª comunhão, confissões, unções dos doentes e bênção de casas. O futuro médico, Gonçalo Dias realizou consultas e palestras sobre a saúde. A mana Teresa organizou a cantina e geriu a logística das casas por onde íamos passando. O avô Filipe geriu as panelas e foi dando aulas de culinária às meninas que foram colaborando nas cozinhas. A Susana Querido realizou atividades com as crianças e palestras sobre a Pastoral da Criança. Em todos os bairros, após a missa, foram feitas palestras à comunidade em geral sobre os cuidados de saúde, alimentação, higiene, sendo apresentadas as propostas da Pastoral da Criança e da construção de poços para uma vida mais saudável. Durante estes dias, além dos trabalhos, houve sempre os momentos de oração e agradecimento a Deus por esta dádiva da partilha. Para além da Eucaristia rezávamos sempre as laudes (de manhã) e o terço (à noite).
No dia 3 de julho, regressámos ao Sumbe, com 10 horas de caminho e cerca de 160km, muito cansados, mas cheios em espírito. Cada lugar foi mágico devido à simplicidade do espaço para celebrar a palavra de Deus. Cada soar do batuque, cada ritmo de bater palmas, cada timbre de voz, cada riso do mais velho ao mais novo… Foram 11 dias de grande intensidade e vivência junto do povo, partilhando com estes as suas dificuldades e as alegrias.
Esperamos que a visita do grupo a estes centros seja sinal da força de Deus e que tenha ficado alguma sementinha para ajudar o Povo a viver melhor.

Estamos Juntos


Linha da frente