terça-feira, outubro 17, 2017

1 ano de caminhada - testemunho da Andreia Pereira

Saudações fraternas!

Os nossos missionários Andreia Pereira, Nuno Vale e João Antunes partem amanhã para Angola. E o povo do Gungo está já "na sua espera", ansioso por cantar Akombe vetu veya. A Ngãla, twapandula! (trad.: Sejam bem-vindas as nossas visitas. Obrigado, Senhor!)

Neste mês missionário, continuemos a rezar por todos os missionários do mundo e pelos povos que os acolhem, e, neste momento, de um modo especial pelos três Ondjoyetu que estão prestes a iniciar a missão que Deus lhes confia.

Sobre um ano de preparação e de missão por cá, em terras lusas, deixamos aqui o testemunho da Andreia:

Eis que o grande dia está prestes a chegar! Foi uma longa caminhada, mas finalmente as malas estão prontas. Vamos conhecer o povo do Gungo!

Faz agora um ano que integrei este querido grupo e foi bom poder contar com o vosso apoio para dar os primeiros passos nesta caminhada. Cada um de vocês me mostrou a alegria imensa do que é ser-se missionário. Eu ainda não sabia realmente qual era a vossa fórmula mágica, mas comecei então à procura. Primeiro foram as sessões da FEC, que foram imprescindíveis para adquirir novos conhecimentos através da experiência de quem já partiu. Consegui alguns pozinhos para a tal receita mágica… Mas… e na prática? Como será?

Eis que surge então a oportunidade de ir fazer a missão no Alentejo, cuja data inicial foi reagendada para eu poder ir. Hum… ser-se missionário significa estar atento às necessidades do Outro. Partimos então para o Alentejo! A experiência de missão no terreno foi algo de encantador: a forma como fomos acolhidos, a vivência em grupo, os momentos mágicos que passámos juntos… Aprendi que o mínimo às vezes torna-se muito. Foi bom perceber que um simples olhar, uma pequena oração ou uma mínima conversa pode fazer a diferença na vida do outro. Aprendi que na vida missionária existem momentos para tudo - oração, convivência, ajuda ao próximo - mas sobretudo que não existe sítio, lugar nem idade para se ser missionário. A missão funciona quando todos colocamos um pedacinho de nós a favor do outro... E descobri finalmente que não existe a fórmula mágica, que eu tanto pretendia! Na verdade, o Espírito Santo concede uma receita pessoal a cada um de nós. E é isso que torna a missão tão vasta e tão especial.

Senti então que deveria transmitir esta alegria de ser missionária a mais irmãos e para tal pedi que se realizasse no passado domingo uma missa na minha paróquia, Turquel, onde o grupo Ondjoyetu esteve presente para fazer chegar mais longe a alegria da evangelização e, quem sabe, despertar mais uma ou duas vocações.

Obrigada por tudo, querido grupo. Até breve!

Boa missão, Andreia, Nuno e João! ;)

✰ O Grupo Ondjoyetu une-se em oração aos familiares e amigos dos que perderam a vida nos incêndios que assolam o nosso país. Que o Espírito Santo os conforte e fortaleça a cada dia, que ilumine os decisores políticos na tomada de medidas concretas para a prevenção deste flagelo e que encoraje todos os cidadãos a unirem esforços pelo cuidado da nossa Casa Comum. Por um mundo melhor.

Programa 70x7 sobre as Missões

Domingo, dia 22, dia mundial das missões, irá passar na RTP 2, a partir das 13 horas, no programa 70 X 7 uma entrevista que me foi pedida a propósito do voluntariado missionário.
Quem quiser pode ver e ouvir num momento em que já estarei nas missões em Angola.

Aproveito este post para pedir que me acompanhem ao longo destes 6 meses com a vossa oração. A todos agradeço do fundo do coração o apoio e manifestações de carinho que tenho tido da parte de tantos amigos.
Estamos juntos em oração.

terça-feira, outubro 10, 2017

Andreia, João e Nuno enviados em Missão


No passado domingo, dia 8, realizou-se na Catedral de Leiria o envio missionário dos próximos missionários leigos Ondjoyetu a partir em missão: João Antunes, natural dos Marrazes, e Andreia Pereira, natural de Turquel, Alcobaça, que irão por um período de 6 meses; Nuno Vale, natural da Vieira de Leiria, que irá por um ano.



Foi com muita emoção e alegria que, na cerimónia da Assembleia Diocesana, os nossos missionários receberam a bênção do Bispo D. António Marto, juntamente com as cruzes benzidas, que os acompanharão durante todo o seu tempo, marcando assim o sentido da missão: “ir em nome D´Ele, ser rosto D´Ele”.


Estes irão partir já no próximo dia 18 de outubro em direção à diocese do Sumbe, Angola, onde desenvolverão o seu trabalho junto da comunidade do Gungo. Os seus corações já se encontram em harmonia por daqui a alguns dias poderem partir em missão e serem as próximas “candeias” a anunciar o amor de Cristo.


À sua espera encontram-se o Pe. David Nogueira, Superior da Missão S. José do Gungo, e toda a “família Ondjoyetu” em Angola, que vai crescendo como fruto deste amor que se faz sentir entre a diocese de Leiria-Fátima e a diocese do Sumbe.

Que o Espírito Santo os proteja e ilumine durante toda a sua missão.

domingo, outubro 08, 2017

Com Maria, Missão de Paz

Estamos em pleno mês das Missões!... Na verdade, todos os meses o são, mas o de outubro é-o de forma especial e em todo o mundo, convidando-nos a aprofundarmos a acção e o espírito missionário na nossa vida e na nossa comunidade. Neste contexto, encontra-se a decorrer na vigararia de Fátima uma acção missionária, que contempla encontros com grupos de catequese e com a comunidade em geral, visitas a idosos e doentes, testemunhos missionários, momentos de oração e celebrações eucarísticas. Além disso, na sexta-feira dia 20 de outubro, no salão da igreja paroquial de Fátima, realizar-se-á a Vigília Missionária Diocesana. Com início às 21h00, esta noite de oração e reflexão será presidida pelo nosso bispo, D. António Marto, e contará com a presença e testemunho de missionários que têm dado tempo da sua vida à Missão lá fora e cá dentro. O tema e o esquema da vigília seguirão a proposta constante do guião missionário das Obras Missionárias Pontifícias, que pode e deve ser utilizado ao longo do ano.

No domingo dia 22, celebraremos o Dia Mundial das Missões, dia que nos convida a rezar de um modo especial pelos povos do mundo inteiro e por todos os missionários, e a refletir novamente sobre a missão no coração da fé cristã. [...] A missão da Igreja, destinada a todos os homens de boa vontade, funda-se sobre o poder transformador do Evangelho. Este é uma Boa Nova portadora duma alegria contagiante, porque contém e oferece uma vida nova: a vida de Cristo ressuscitado, o qual, comunicando o seu Espírito vivificador, torna-Se para nós Caminho, Verdade e Vida (cf. Jo 14, 6) (in Mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial das Missões).

Continuemos a viver este mês animados pelos sons e cores missionárias, e pelas palavras do Papa Francisco: Por meio da proclamação do Evangelho, Jesus torna-Se sem cessar nosso contemporâneo, consentindo à pessoa que O acolhe com fé e amor experimentar a força transformadora do seu Espírito de Ressuscitado que fecunda o ser humano e a criação, como faz a chuva com a terra.

Boa missão! ;)

domingo, outubro 01, 2017

Missa de envio missionário

Ocorreu na igreja da Gândara dos Olivais no passado dia 30 de setembro a celebração da missa de envio de João Antunes conforme vinha sendo divulgado das várias formas possíveis.

Sem que a igreja tenha esgotado a sua capacidade, foi contudo um espaço composto onde estiveram, segundo algumas estimativas, cerca de 120 pessoas.

Foi celebrante o Padre Joaquim Domingos Luis, Missionário do Verbo Divino e responsável pela animação missionária na Diocese de Leiria-Fátima. Concelebrou o Padre Rui Acácio, atual pároco dos Marrazes.

Os cânticos foram animados pelo Grupo Missionário Ondjoyetu e pelo grupo de pessoas que é habitual animar as celebrações eucarísticas na comunidade da Gândara dos Olivais.

Toda a assembleia participou ativamente na Eucaristia onde João Antunes respondeu à chamada dizendo "Presente" e também recebeu uma bênção especial com a força do Espírito Santo e o amor de Deus para que com confiança e entusiasmo desse Dele testemunho junto dos irmãos mais necessitados.

Na homília proferida pelo Padre Joaquim foi referido que este voluntário seria mais um rosto missionário da Diocese e que iria para a missão em nome de cada um dos presentes como sinal de união e de comunhão exortando o João e todos os presentes a sentirem-se igualmente missionários, seja em casa, na escola, no trabalho, ou seja, em cada momento da sua vida. Como diz o Papa Francisco, e o salientou o Padre Joaquim, "A Igreja deve estar sempre de saída".

À assembleia dos fiéis, João Antunes apresentou o que será o seu lema para a missão: "Fazer o que for preciso, onde for preciso, e o que não poder fazer, Deus pode. Ele sempre me virá socorrer".

De seguida passou um pequeno vídeo onde pretendeu deixar uma pequena imagem das dificuldades que os missionários enfrentam na Missão. Referiu ainda que no dia 8, dia da Igreja Diocesana, o Sr. Bispo, D. António Marto, irá enviá-lo em nome da Diocese e impor-lhe-á a Cruz Missionária.

Resta agradecer de todo o coração o acolhimento da comunidade da Gândara dos Olivais, da Paróquia dos Marrazes, e de tantos amigos e conhecidos, bem como a abertura manifestada pelo Pároco e pela equipa missionária que muito contribuíram para que a cerimónia tivesse corrido bastante bem e alcançado o que dela se esperava.

João Antunes irá partir em 18 de outubro para a Diocese do Sumbe, em Angola, onde irá colaborar e desenvolver a sua atividade nas montanhas do Gungo. Ali permanecerá pelo período de seis meses.

Terminando, deixa para a nossa meditação e para que seja rezada pelo sucesso da missão que João Antunes abraçou uma singela oração, cujo autor desconhece.

Senhor, nosso Pai, nós vos agradecemos porque nos chamastes a viver este amor. Estamos felizes por sermos Vossos filhos e integrarmos o Vosso Povo.

Senhor Jesus Cristo, nós Vos agradecemos por Nos terdes enviado em missão como Vossas testemunhas até aos confins da Terra.

Deus Espírito Santo, nós Vos agradecemos, presença amorosa de Deus que une pessoas e povos e nos envia a evangelizar.   

Derramai sobre nós os Vossos dotes e guardai-nos até ao fim.

Maria, Mãe, Senhora nossa, pedimos a Vossa bênção e intercessão. Estrela da Evangelização, ensinai-nos a levar Jesus a todas as pessoas.  








Reunião Mensal & Envio Missionário

Walanga! Boa tarde!

Vimos por este meio comunicar que a segunda reunião mensal deste ano pastoral se realizará no próximo sábado, dia 7 de outubro, às 21h00, no seminário diocesano de Leiria. Na tarde do dia seguinte, dia 8, terá lugar, na igreja catedral de Leiria, a Assembleia Diocesana, que integrará o rito de envio dos missionários Ondjoyetu que partirão para Angola no próximo dia 18 de outubro. Apresentamo-los a seguir:



Andreia Pereira, 24 anos, paróquia de Turquel - Alcobaça | missão de 6 meses

João Antunes, 70 anos, paróquia de Marrazes - Leiria | missão de 6 meses

Nuno Vale, 29 anos, paróquia de Vieira de Leiria - Marinha Grande | missão de 1 ano



A assembleia diocesana terá o seu início às 15h00 (atenção: o programa não inclui a celebração da Missa) e, nas palavras do nosso bispo D. António Marto, com esta assembleia, em comunhão visível, celebramos juntos o Dia da Igreja Diocesana, fazemos a abertura solene do novo ano, apresentando o tema geral e o programa comum, e, unidos aos nossos padroeiros, daremos graças ao Senhor pela porção do povo de Deus que somos e pelo carisma e muitos outros dons que nos concedeu.

Esta é mais uma oportunidade para reunirmos a família Ondjoyetu e vivermos juntos a alegria do envio de mais três trabalhadores para a messe. Convidamos todos os amigos e benfeitores do Grupo a participarem nesta tarde de celebração, envio e comunhão!

Para todos, um bom Outubro Missionário, com a intercessão de Santa Teresinha do Menino Jesus e de São Francisco Xavier, padroeiros das Missões. Estamos juntos.

sexta-feira, setembro 29, 2017

Um mês e tal... Paz e reconciliação, partidas...

Antony e Cátia
Saudações a todos os missionários que passam por aqui e fazem da sua ligação uma forma de missão.
Desde as últimas novidades que foram colocadas pela linha da frente, cá vão mais algumas: 
De 25 a 27 de Agosto estivemos no centro da Tuma. Ali foi possível o acompanhamento da comunidade através da reunião do Ondjango do centro para informação e reflexão sobre a realidade do centro e dos vários bairros. 
Para além desta actividade também visitámos de modo particular o bairro Acuma onde há uns meses houve um crime que mexeu com a comunidade. Desde essa altura que a comunidade tinha deixado de rezar com regularidade. Reunimos com as autoridades tradicionais e com a presença dos membros do Ondjango do centro. Foi possível o diálogo sobre a necessidade de semear a paz deixando de lado ideias de vingança... 
Equipa reduzida
Não é fácil falar destas ideias quando há duas famílias que ficaram mudadas após um momento de luta e irreflexão em que um pai de família morreu e o outro foi para a cadeia por ter cometido um crime. Falar de perdão a vizinhos de costas voltadas, falar do que Cristo fez àqueles que o matavam nem sempre é bem acolhido. No entanto, da partilha de ideias realizada abriu-se portas para podermos ali celebrar Eucaristia no domingo, dia 27, rezando de modo especial para que naquele bairro volte a paz e haja reconciliação. Nesta estadia houve ainda consultas médicas e visita da Pastoral da Criança no bairro da Calunganga.
Após estes dias, fomos a Luanda para nos despedirmos do Antony e da Cátia, voluntários estudantes de medicina em Coimbra, que estiveram entre nós um mês. Mais uma despedida e uma mexida na Equipa que, ao regressar de Luanda, ficou reduzida como se pode ver na habitual foto do miradouro da Lua.
celebração na Chipinga
A seguir, foi uma estadia na Chipinga de 01 a 04 de Setembro. Neste local fizemos o acompanhamento do centro do Chitonde com reunião do Ondjango do centro. Houve consultas médicas e reunião com alguns grupos que estão em preparação.
Da Chipinga subimos à Donga para a finalização da campa do falecido catequista António Jamba. Este homem foi professor e catequista na missão do Gungo, passando uma parte da sua vida na Donga, sede da missão. Faleceu em 1997 e, agora, foi o momento de dignificar a sua campa para a tornar num pequeno monumento de homenagem ao catequista que ele foi e a todos os catequistas. 
Durante os dias de trabalho na campa a mana Mafalda e a mana Teresa foram fazendo mais algumas consultas médicas. Nestes dias concentraram-se na Donga, para preparação, os pais com crianças para o Baptismo (famílias de cerca de 90 crianças) e, no domingo, dia 10, foi a bênção deste monumento, logo após a bênção das sementes.
Campa/monumento em forma de Ondjango
Regressados ao Sumbe, no dia 11, voltámos às portas do Gungo, no Eval Guerra, no dia 17, para a mana Mafalda fazer a sua despedida do Gungo. Nos dias antecedentes a este domingo reuniu-se um grupo de pessoas na Donga para fazer alguns trabalhos de preparação dos terrenos da lavra da missão.
Nova viagem a Luanda e a partida da Mafalda rumo a Portugal para retomar os seus estudos.
Agora estamos a preparar-nos para subir de novo ao Gungo numa etapa que será repartida entre o Uquende e a Donga.

Até breve!

quarta-feira, setembro 27, 2017

Missa de envio missionário

Missa de envio missionário.
Compareçam às 14.30 para o ensaio de cânticos que irão animar a celebração.
Tragam as vossas violas

domingo, setembro 24, 2017

Conclusões das Jornadas Missionárias 2017

À semelhança dos anos anteriores, também neste ano um grupo de vários membros do Grupo Missionário Ondjoyetu participou nas Jornadas Missionárias Nacionais.
Missão do Coração ao Coração foi o tema sobre o qual reflectiram os cerca de 250 participantes, consagrados e leigos, nestes dois dias de aprendizagem, reflexão e comunhão missionária.

Transcrevemos a seguir as conclusões destas jornadas:

--- As Jornadas Missionárias 2017 decorreram em Fátima a 16 e 17 de setembro sob o tema inspirador «Missão do coração ao coração» no âmbito do jubileu centenário de Fátima.
--- D. Manuel Linda, presidente da comissão episcopal Missão e Nova Evangelização, abriu as jornadas dizendo que é no coração, fonte do pensar e do querer, que se abraçam as grandes opções de vida.
--- A Doutora Isabel Varanda reflectiu sobre o tema «Sim… Faça-se… – Aceitação da missão. Acreditar no impossível».
--- «Ser missionário é não ser autorreferencial», sublinhou a teóloga da UCP- Braga.
--- Dom António Couto tratou o tema mariano «Feliz porque acreditaste… – Participação do missionário no mistério de Cristo».
--- «O missionário verdadeiro tem que ter o sabor de Deus, tem que estar ao dispor de Deus» ao jeito de Maria, disse o biblista, Bispo de Lamego. E recordou: «Meia hora de leitura diária da Bíblia dá uma indulgência plenária e é a grande porta santa que nos abre à vida.»
--- O padre Adelino Ascenso, Superior Geral dos Missionários da Boa Nova, partilhou uma reflexão sobre o tema «A minha alma engrandece o Senhor… – Da experiência de Deus às experiências dos missionários».
--- «Só a partir da experiência de Deus é que estamos aptos a narrar Deus», sublinhou o presidente dos IMAG, os institutos missionários ad gentes.
--- A Doutora Margarida Cordo trabalhou o tema «Apareceu no céu um grande sinal… – Missão como promessa e realidade.»
--- «Ninguém é missionário por narcisismo, pois já se desprendeu do que nos torna adictos ao individualismo, reforçados pelas exigências e desafios da realidade», a psicoterapeuta salientou.
--- Os cerca de 250 participantes dividiram-se em quatro grupos para reflectirem sobre quatro questões concretas.
--- Sublinharam a necessidade de um amor missionário, mais colaboração entre os agentes de evangelização, proximidade para acolher, escutar, ir ao encontro dos mais fragilizados, ter tempo para os outros e para Deus, simplificar a linguagem para chegar às periferias, cuidar da casa comum e das pessoas, porque o cuidado leva à justiça e à paz.
--- O Doutor André Costa Jorge reflectiu sobre o tema candente «Exaltou os humildes… – Missão como denúncia e acolhimento. Tráfico humano e refugiados.»
--- «Nós existimos todos porque fomos acolhidos. Se fomos acolhidos porque não acolher? Quem acolhe, ganha. Todos os povos que acolheram imigrantes, tornaram-se mais felizes e mais ricos. Acolher o estrangeiro, traz-nos felicidade, não nos traz pobreza», disse o responsável do JRS - Portugal, o Serviço Jesuíta aos Refugiados.
--- Frei João Lourenço encerrou as Jornadas com o tema «Magnificat – Cântico missionário para hoje.»
--- «Como Maria, ser missionário é colocar-se à disponibilidade de Deus, deixar-se acolher por Ele para que possamos ser instrumentos daquele acolhimento que abre os corações à ação do Espírito», salientou o biblista franciscano.
--- As Jornadas Missionárias 2017 foram integradas na peregrinação nacional das Obras Missionárias Pontifícias a Fátima no jubileu centenário.


Reportagem televisiva da Agência Ecclesia: