segunda-feira, fevereiro 19, 2018

Retiro do Grupo Ondjoyetu

Dia 25 de fevereiro

Todos os anos realizamos o nosso retiro, com o objetivo de  enriquecer as relações e a aprofundar algumas questões da fé.
Convidamos todos os amigos e aqueles que foram passando pelo grupo, a juntarem-se a nós.


 Programa  

Local: (surpresa – 20 km de Leiria)
09h00: saída do seminário de leiria
09h30 – chegada; acolhimento
10h00 – início
Oração da manhã: laudes II Domingo Quaresma
Tema: “Deixa-te transfigurar por Jesus”
Explicação do que é a leitura orante da palavra
11h30 – pausa para café
12h00-13h00 – leitura orante
13h00 – Almoço partilhado
14h00 – recomeço


Via-sacra
Reflexão pessoal
Como posso renovar em mim o meu compromisso batismal?
15h45: ensaio para a missa
16h00 – eucaristia

17h00 – final

Contamos com a vossa participação!


sábado, fevereiro 10, 2018

Estado da missão…entre o Campo e a Cidade

     As nossas “mais novas” estão a ficar crescidas, como tal com a chegada do novo ano letivo as nossas manas Georgina e Cristina (duas jovens que estiveram a dar colaboração na Donga durante dois anos) desceram à cidade fazendo aumentar assim a nossa família no Sumbe, uma vez que, no Gungo, seria mais difícil continuarem os estudos. Para lá continuarem a estudar teriam que se deslocar ao Uquende que fica a uma distância de 17km e que implicaria uma viagem diária de 3 horas… para cada lado!!! Como tivemos medo que elas se perdessem pelo caminho trouxemo-las para a casa do Sumbe aumentando assim os pratos na mesa para 11 e assistência que a missão dá a estudantes no Sumbe para 5 elementos. Quem ficou triste foi a Donga que ficou sem as suas meninas e sem o apoio logístico que elas prestavam, apoio esse que já durante a nossa última subida foi colmatado pelas nossas mana Teresa e Andreia que desdobrando-se entre os doentes, o alguidar do pão e da loiça ainda deram uma mãozinha no tacho do funge para os trabalhadores num incansável trabalhado diário que muito exige delas.


        Nesta nossa última subida tivemos novidades dos doentes que foram atingidos pelo raio e ficámos contentes por saber que estão quase totalmente recuperados, damos graças por isso. As consultas estão com cada vez mais afluência na Donga e os medicamentos estão escassos nos armazéns, o que nos deixa preocupados com a situação da saúde no Gungo, esperamos na próxima descida já ter acesso a medicação para melhor podermos prestar auxílio à população. Até lá e com a ajuda de Deus vamos tentado fazer o melhor que podemos.

          Quanto a mais novidades desta nossa última estadia no Gungo, da qual chegamos na segunda-feira, temos que frisar as novidades na horta da missão onde por mais incrível que possa parecer as pequenas videiras carinhosamente enviadas pelo Tio Serra já estão a mostrar os primeiros cachos, na lavra da missão foi semana de colher feijão tarefa que criou bastante movimentação na Donga com a chegada de pessoas que foram ajudar nestes trabalhos. O pátio da Donga ficou repleto de feijão o que levou a que fosse travada uma grandiosa batalha entre homens e cabritos para defender o feijão dos insistentes larápios.



         Os trabalhos do BTC estão a seguir em força e a linha de produção está a levar os últimos acertos para aumentar a produtividade e melhorar a ergonomia (palavra provavelmente nunca antes ouvida em tal escala por aquelas paragens). Assim, dentro de pouco tempo será possível começarmos a erguer as paredes da capela do Uquende e avançarmos para outros projetos de construção.






           Por entre os trabalhos tivemos ainda tempo de, no nosso primeiro Domingo desta estadia, irmos celebrar a missa à Chitunda onde também houve reunião do Ondjango local, um pequeno encontro de jovens e a já habitual animação das crianças das comunidades que nos recebem durante as nossas visitas aos centros.



         Voltaremos a subir este Sábado para uma estadia que vai ser maior do que o habitual e, assim sendo, estaremos por terras do Gungo até dia 5 de Março, esperamos que seja mais uma subida produtiva e que possamos continuar a tentar prestar o apoio que nos é possível à população.


domingo, fevereiro 04, 2018

Convívio com as Irmãs Filhas de Santa Maria de Guadalupe

Na próxima quinta-feira, dia 8 de fevereiro, às 21h00, terá lugar no salão paroquial da Marinha Grande um encontro de partilha e convívio com a presença de duas Irmãs - entre elas a Superiora - do Conselho Geral da Congregação Filhas de Santa Maria de Guadalupe, que vêm do México para visitar a comunidade que têm precisamente na paróquia da Marinha Grande.

O convite para este evento é-nos feito pelas nossas queridas Irmãs Nancy, Susana e Elvira, que, além de todo o trabalho pastoral naquela comunidade e colaboração noutros projectos, presenteiam continuamente a missão Ondjoyetu com a sua dedicação, carisma e alegria inigualáveis.

Não esquecemos também as outras Irmãs Guadalupanas que já colaboraram no Grupo e que se encontram neste momento noutros lugares de Missão. Bem hajam! Estamos juntos.

segunda-feira, janeiro 29, 2018

Reunião mensal de fevereiro


Saudações missionárias!
Relembramos que a próxima reunião mensal se realizará neste sábado, dia 3 de fevereiro, às 21h00, no Seminário Diocesano de Leiria. Entre outros assuntos, ouviremos novidades da Missão do Gungo e faremos o ponto de situação da preparação do retiro anual Ondjoyetu a realizar-se em fevereiro. Além disso, poderemos testemunhar o alegre batucar do coração da nossa missionária Ana Rita Gonçalves, que no próximo mês se juntará à Linha da Frente para a sua primeira missão em Angola.
Tukasi kumosi. Estamos juntos.

2.ª Sessão de Formação FEC

Domus Carmeli
Saudações missionárias!
A 2.ª Sessão do Plano de Formação de Voluntariado organizado pela FEC (Fundação Fé e Cooperação) realizar-se-á nos dias 17 e 18 de fevereiro, em Fátima, na Domus Carmeli.

As inscrições poderão ser feitas até às 12h00 do dia 8 de fevereiro
Para esse efeito, preencha o respectivo formulário, clicando aqui.
Para algum esclarecimento ou apoio, poderá contactar o Grupo Ondjoyetu ou enviar um e-mail para catarina.antonio@fecongd.org (Catarina António - FEC).

Apresenta-se a seguir o programa detalhado:

Tema: Voluntariado e Cooperação para o Desenvolvimento
Local: Domus Carmeli – Fátima

Sábado – 17 de fevereiro
09h30: Acolhimento
10h00: Apresentação dos participantes e início dos trabalhos
10h30: As desigualdades no mundo
11h30: Pausa
12h00: A Educação para o Desenvolvimento/Cidadania Global                     
13h00: Almoço
14h30: Conceitos de Cooperação e de Desenvolvimento  
16h00: Intervalo
16h30: Voluntariado e Cooperação para o Desenvolvimento - problemas e desafios
18h00: Intervalo
18h30: Sínteses e Conclusões
19h30: Jantar
21h00: Testemunho Missionário   
    
Domingo – 18 de fevereiro
08h30: Pequeno-almoço
09h00: Ciclo do Projecto
                - Apresentação das etapas do Ciclo do Projecto
                - As fases de Identificação e Formulação do Projecto
10h00: Formulação do Projecto
                - Trabalhos de equipa
11h00: Eucaristia             
12h30: Síntese e Avaliação        
13h00: Almoço       



Formadores convidados
La Salete Coelho | Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Viana do Castelo | Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto 
Miguel Filipe SilvaCentro de Estudos Africanos da Universidade do Porto | Instituto de História Contemporânea da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa 

Ambos os formadores têm experiência de vida em Moçambique e Guiné-Bissau.

Testemunhos  
Sérgio Cabral e Ana Sofia Costa | Leigos Boa Nova | Missão de 1 ano em Moçambique

Equipa Plataforma Voluntariado Missionário 
Catarina António | FEC | 936245545


Inscrição na Formação FEC – 1 sessão = 10€; 5 sessões = 20€
Estadia pensão completa em quarto triplo = 35€ 
Estadia pensão completa em quarto duplo = 37,50€ 
Estadia pensão completa em quarto individual = 45€
Refeição = 12,5€  
Só dormida com pequeno almoço em quarto duplo ou triplo (1 noite) = 17,50€ 
Só dormida com pequeno almoço em quarto individual (1 noite) = 25€ 
(o almoço do primeiro dia - sábado, dia 17 - será partilhado, sendo todos convidados a contribuir com algo)
 

quarta-feira, janeiro 24, 2018

Notícias Donga. Edições Camungungo

 Os dias passam, sem darmos conta. Já passaram 3 meses, estamos cada vez mais rendidos aos encantos de Angola, do Gungo e do seu querido povo.


Nesta última temporada no Gungo ao chegar à Donga, a equipa começou por ser calorosamente recebida ao som de cânticos de acolhimento, pelas vozes dos membros da formação da primeira comunhão, que logo encheram os nossos corações e almas e nos fizeram sentir o quanto a nossa presença é valiosa para as pessoas ali presentes. 

A nossa lavra deu a colher os seus primeiros feijões e também na nossa horta brotaram as árvores plantadas na temporada anterior, videiras, mangueiras, abacateiros, as árvores de sape-sape, que não podiam faltar! Todas nos presentearam com os seus rebentos, exceto os velhos caroços de pêssego,que encontrámos perdidos numa prateleira e nos encheram de esperança de poder comer pêssegos na Donga, mas, face à sua idade avançada, não nos deram a alegria. No viveiro germinaram as couves-galegas, as cebolas, o repolho, o alho francês, o tomate e as beterrabas! Todos já foram transplantados e começam a dar cor ao chão da nossa horta que está cada vez mais bonita e organizada. J

A equipa de trabalhos esta semana, terminou de colocar a rede de protecção da antena do telefone satélite, quem não ficou contente com o serviço foi o nosso rebanho de cabras que já reivindicou a necessidade de novos sombreiros. A moagem do Uquende também foi alvo de reparações e já está novamente a funcionar, tendo as mamãs logo apresentado as suas queixas por terem de bater a fuba á mão durante dois dias! Também a casa do gerador foi alvo de intervenções, está a ser ampliada para receber um novo morador.

A semana foi marcada pelas experiências no BTC, o mano Nuno para encontrar a fórmula certa encheu-se de raiva e “partiu” alguns dos blocos feitos até agora para se poder chegar a conclusões sobre as amostras.

Decorreram esta semana os encontros de preparação para o crisma, para a primeira comunhão e a formação dos líderes da pastoral da criança, que, neste encontro, debateram o tema da sida e reorganizaram o material em falta para poderem continuar a dar assistência às nossas alegres e espevitadas crianças. Foi tempo de realizar a assembleia anual da missão, onde juntamente com os catequistas dos vários centros se planificou os objectivos para o ano 2018.




Na saúde a semana foi marcada pelo paludismo, os testes rápidos para despiste do paludismo foram à conta para a temporada, esperamos que no regresso os mosquitos se decidam a morder os macacos e não perturbem mais a saúde do nosso querido povo. Também iniciámos o tratamento a dois jovens do Awecoque foram atingidos por um raio e ficaram com graves queimaduras no corpo, rezamos para que as suas peles se renovem e não fiquem marcados por este acontecimento.




Pela primeira vez testemunhámos a felicidade do cavalinho a chafurdar numa poça de lama! Pois é, ao iniciar a descida ao Sumbe o nosso fiel companheiro não aguentou tais saudades e ao ver um pantanal, não se conteve e deliciou-se num imenso banho de lama! Foi preciso algum tempo para obrigá-lo a sair de lá, fez questão que experimentássemos os benefícios da lama nas nossas peles. Terminado tal spa, decidimos que seria melhor pernoitar no Uquende, onde fomos prontamente acolhidos, adiando assim a nossa descida para a o dia seguinte.
A foto pós chafurdanço do Cavalinho. Estejam atentos aos pormenores, a peuguinha channel 


                                                                                  Assim vamos nós, assim vai a missão.

quarta-feira, janeiro 17, 2018

Envio missionário da Ana Rita Gonçalves

O grupo Ondjoyetu, da Diocese de Leiria-Fátima, desenvolve uma ação missionária no Gungo (Sumbe-Angola). Tem uma presença fixa de um sacerdote da diocese e de leigos naquela região de Angola e ali permanecem com o propósito de ajudarem a melhorar as condições de vida do povo. Neste contexto, a jovem Ana Rita Gonçalves, natural de Monte Real, prepara a sua viagem para ir ajudar o próximo como missionária voluntária.

No dia 14 de Janeiro, na celebração dos 100 anos da restauração da Diocese de Leiria-Fátima, D. António Marto, Bispo da Diocese de Leiria-Fátima, na Sé de Leiria, presidiu a cerimónia de envio missionário de Ana Rita Gonçalves. Foi um momento marcante e muito significativo para a Diocese e para o grupo Ondjoyetu, também para toda a família e amigos da Ana Rita Gonçalves.

Ana Rita Gonçalves deixa uma mensagem que resume o seu sentimento neste momento tão especial da sua vida: "Foi com imensa alegria e gratidão que celebrei a missa de envio. Foi a consciencialização de que está perto a minha partida e, por esse motivo, senti-me de coração cheio. Agradeço imenso ao Padre Joaquim por ter proporcionado a integração do rito de envio nesta missa tão especial com o Senhor Bispo, a quem também estou muito grata. Obrigada também a todas as pessoas que me deram uma palavra de apoio, o que prova que estamos todos juntos na missão de amor de Jesus Cristo. Sorrisos valem mais do que palavras. Imensamente grata. Um abraço a todos." 

Texto: Joaquim Santos


segunda-feira, janeiro 15, 2018

Festa dos Reis e Convívio de grupo missionário Ondjoyetu 2018

No dia 7 de dezembro, o Grupo Missionário Ondjoyetu celebrou a festa da Epifania num amistoso convívio no Seminário de Leiria. Depois de um caloroso acolhimento, celebrámos a Eucaristia com o nosso Padre Joaquim Luis que, como sempre, é um grande e eloquente difusor da Palavra de Deus. A animação dos cânticos ficou sob a responsabilidade de um alegre conjunto de membros do grupo missionário.

Houve momentos muito altos da celebração e durante a Ação de Graças fizemos vários pedidos e propósitos espontâneos no sentido de deixarmos o Mundo melhor. Lembrámos também os nossos irmãos missionários, que estarão na Glória do Pai, continuando os seus gestos de amor e continuando a interceder por nós e a enviar-nos força e coragem para prosseguirmos sempre mais além.

A nossa família missionária esteve reunida em grande fraternidade e interligação com os irmãos do Sumbe. Houve partilhas de experiências de Missão muito interessantes, pois a linha da frente vai transmitindo tudo o que sucede no Gungo e de como se ultrapassam as dificuldades, sempre com o espírito de sacrifício e solidariedade, mas simultaneamente de alegria e com gestos de amor.



Partilhámos um belo ”repasto” e houve uma belíssima reportagem fotográfica. No final, houve uma surpresa na distribuição de prendas, cuja dinâmica consistia em completar provérbios. Foi divertida e com espírito de fraterna harmonia, tornando-se notória nas prendas oferecidas a habilidade manual de muitos elementos, inclusivamente a do nosso pequeno Vítor. Foi uma tarde e noite muito felizes, cheias de momentos marcantes, franca camaradagem e recordando sempre os irmãos do Gungo.


Obrigado! Sempre Juntos!
Amélia Moura